Descubra todas as frentes de decode

Desenvolvemos continuamente novas metodologias de coleta e análise de dados para compreender fluxos

Somo um laboratório multidisciplinar de pesquisa e inovação digital da Decode.

Neuromarketing para o dia a dia do seu negócio

Share:

É possível aplicar experimentações de neuromarketing na comunicação com o cliente e na rotina da sua equipe, sem a necessidade de começar do zero.


O maior desafio para os profissionais de marketing sempre foi o de como obter melhores resultados investindo menos dinheiro. Isso tem ligação direta com o Neuromarketing, o conceito de repensar as estratégias de negócios por meio da compreensão de como o cérebro do seu cliente ou lead funciona e como isso afeta diretamente os resultados da sua estratégia de marketing.

O que é neuromarketing e como ele funciona?

Explicando de forma mais técnica, o Neuromarketing é um campo mais recente do marketing que aplica a neuropsicologia à pesquisa de mercado, estudando a resposta sensório-motora, cognitiva e até mesmo emocional dos consumidores aos estímulos de marketing. Por meio da medição de sinais fisiológicos e neurais, a equipe de marketing obtém insights sobre as motivações, preferências e decisões dos clientes.

Isso ajuda na formatação de soluções mais criativas e adequadas ao público-alvo, no desenvolvimento de produtos, preços e outros aspectos do marketing e da comunicação da sua marca. Além disso, o neuromarketing muitas vezes consegue observar reações cerebrais muitas vezes inconscientes, que dificilmente seriam constatadas em pesquisas aplicadas, por exemplo.

O uso dos estudos de Neuromarketing na estratégia de marketing é capaz de dizer, por exemplo, o nível de preferência dos clientes com relação à cor da embalagem de um produto ou até mesmo se o som que a caixa faz quando chacoalhada o incomoda.

Esse nível de especificidade e de profundidade de informações ampliam as possibilidades de soluções e auxilia no aumento da satisfação do cliente com relação ao seu produto ou serviço.

Apesar dos estudos de neuromarketing terem avançado muito, não é possível reduzir uma disciplina tão ampla como o marketing a uma questão bioquímica e de forma alguma podemos restringir todas as decisões de marketing a uma análise das reações cerebrais.

A ideia é que todos os esforços de marketing precisam, sim, ter como base o padrão comportamental do cliente ou de um grupo de clientes específico, mas além disso é preciso compreender o contexto socio-cultural, o mercado, os concorrentes e muitas outras varáveis que influenciam da tomada de decisão de uma estratégia de marketing bem sucedida.

Aproximando o neuromarketing da sua empresa

É possível aplicar determinadas experimentações dos achados de neuromarketing na comunicação com o cliente e na rotina da equipe de marketing da sua empresa, sem a necessidade de começar do zero e investir em estudos avançados.

Como estabelecer uma relação de confiança entre o cliente e a sua marca é um exemplo. Segundo o site Brainfluence, para ganhar realmente a confiança do cliente, é preciso confiar nele primeiro. De que forma? Você pode oferecer uma “degustação” do seu serviço com poucas restrições, usar formulários mais curtos para o cadastro do perfil na plataforma e não exigir uma assinatura do cliente logo para acessar uma versão de teste.

Outro fato curioso que o neuromarketing comprovou é que usar imagens de pessoas sorrindo no seu website ou em sua comunicação oficial ajudam a humanizar sua marca e a melhorar o humor do cliente, afetando sua disposição para efetuar uma compra. Por isso, vale a pena escolher imagens mais descontraídas do que as do homem de negócios mais sério, por exemplo.

Se você quer continuar pesquisando sobre técnicas de marketing e como conhecer o comportamento do consumidor, temos vários outros artigos aqui no Hub. Boa leitura!